LOEB DE NOVO NO PÓDIO DO WRX

loeb

2º PROVA - MONTALEGRE

Sébastien Loeb está habituado à neve em provas como o Rali da Suécia, mas de certeza que não estaria a contar com neve no Ralicross em Montalegre! Mesmo assim, o piloto do Team PEUGEOT Total exibiu todo o seu talento e levou o PEUGEOT 208 WRX ao segundo lugar do pódio pela segunda vez consecutiva, na segunda prova do Campeonato do Mundo de Ralicross. A altitude foi, certamente, um duro teste ao desempenho dos carros, mas também o foi para os pilotos. Mais uma vez, os três pilotos da equipa exibiram o seu enorme potencial num evento que ninguém irá esquecer... 

  • Sébastien Loeb começou da melhor forma a prova portuguesa, vencendo a Q1 e obtendo o 2º lugar na Q2, posicionando-se como o piloto com mais pontos ao final da tarde de sábado. Embora menos confiante nos pisos molhados e escorregadios da Q3 e da Q4 na manhã de domingo, o piloto francês passou à semi-final com relativa facilidade, ao volante do seu 208 WRX de 600 CV. Loeb terminou a semi-final em 2ª lugar, o que lhe garantiu um lugar na final, que se disputou com a neve já a cair sobre todo o circuito. Após uma intensa luta, sempre a andar de lado, na espetacular pista de Montalegre, Loeb conquistou o segundo lugar final - o mesmo resultado que alcançou em Barcelona - o que lhe permite reforçar a sua posição no campeonato.
  • Quanto a Timmy Hansen, foi o único piloto a bater Loeb em pista no sábado, vencendo a Q2 na frente do seu ilustre colega de equipa e posicionando-se como o segundo piloto com mais pontos no final do dia. O mais velho dos irmãos Hansen também não teve quaisquer dificuldades em qualificar-se para as semi-finais, e tudo melhorou ainda mais para o piloto sueco na tarde de domingo ao vencer a sua semi-final, mais uma vez na frente de Loeb. Hansen estava preparado para uma final em força na neve, mas, infelizmente, quando estava a disputar arduamente a vitória, embateu no rail e fez um pião, o que o relegou para os últimos lugares. No final, Timmy Hansen não teve direito a troféus, mas acumulou muitos e preciosos pontos durante o fim-de-semana.
  • Também Kevin Hansen começou da melhor forma a prova portuguesa, melhorando constantemente, mesmo quando as condições se tornaram mais complicadas: terminou em 5º na Q3 e em 9º na Q4, disputadas no sábado e já com alguma chuva a molhar o piso. Estes bons resultados posicionaram o jovem Hanson na semi-final, mas as coisas não lhe correram bem, tendo embatido na traseira de um piloto rival que travou cedo demais, e a colisão danificou o intercooler do carro de Kevin. Para poupar a mecânica a danos bem mais graves, Hansen optou por desligar o motor e terminar assim, de forma inglória, um fim-de-semana muito promissor. Mesmo assim, conquistou um merecido ponto.
loeb

Bruno Famin, Diretor da PEUGEOT SPORT

“Foi um bom fim-de-semana. Embora no papel os resultados pareçam muito semelhantes aos da primeira prova disputada em Espanha há duas semanas, acabam por ser mais positivos porque conquistámos muitos pontos em ambos os Campeonatos. O Sébastien Loeb registou 25 pontos, o que o elege como o piloto com mais pontos neste fim-de-semana, logo a seguir ao Kristofferson, que registou 26 pontos. Na classificação de Equipas, fomos, juntamente com a Volkswagen, a melhor formação em Montalegre. O mais positivo é que os nossos carros mostraram um bom andamento e uma elevada fiabilidade ao longo de todo o fim-de-semana, sem quaisquer problemas de ordem técnica. Os carros andaram melhor no piso seco do que no molhado, mas não deixou de ser um desempenho encorajador. Tivemos uma performance sólida.”

Sébastien Loeb, Piloto do Team PEUGEOT Total (PEUGEOT 208 WRX #9)

“Tive um bom ‘feeling’ do 208 WRX logo desde o início. No piso seco, o carro foi muito fácil de controlar e senti-me muito confiante: pude concentrar-me nos tempos por volta e não propriamente no comportamento do carro. As sessões de qualificação Q1 e Q2 correram bem, mas na Q3 as condições meteorológicas foram bem diferentes, e tive de lutar um pouco mais para encontrar a trajetória. Felizmente, na semi-final, o piso voltou a estar seco, mas a final foi disputada em condições espetaculares. Gostei do fim-de-semana, foi bem disputado, embora não seja normal corrermos com neve.”

Timmy Hansen, Piloto do Team PEUGEOT Total (PEUGEOT 208 WRX #21)

“Na final, eu estava a ir bem mas o Kristoffersson ia mais rápido e acabei por cometer um erro ao tentar acompanhá-lo. No final, o tempo mudou radicalmente e não houve tempo para preparar o carro para o piso escorregadio; corremos com o ‘set-up’ que utilizámos antes, com o piso seco. Acho que isso acabou por influenciar parcialmente o meu rendimento, mas a outra parte é culpa minha por ter entrado com demasiada velocidade na curva, por isso bati no rail e fiz um pião. As corridas são mesmo assim: às vezes erramos. Pelo menos, o fim-de-semana foi bom para nós, com boas qualificações e uma vitória na semi-final, tudo em condições muito difíceis em termos de meteorologia.”

Kevin Hansen, Piloto do Team PEUGEOT Total (PEUGEOT 208 WRX #71)

Mais uma vez, arranquei bem na semi-final e estava mesmo atrás do Ekstrom. Eu tinha a certeza que ele ia fazer a ‘joker lap’, mas ele travou e eu não tive tempo de parar: bati na traseira do carro dele e danifiquei o intercooler do meu carro. E foi isso. Fiquei um pouco desiludido: estamos todos entusiasmados e, de repente, muda tudo em plena reta e não há nada que possamos fazer. O lado positivo da coisa é que andámos bastante depressa e eu consegui fazer partidas melhores que as que fiz em Barcelona. Já cumprimos duas provas e eu estive nas semi-finais de ambas. Sinto-me bem com o carro e confio nele, principalmente quando temos mesmo de andar de lado, como é o caso aqui. Sem o incidente da semi-final, penso que podia ter chegado à final, o que me deixa muito animado.”

loeb

CAMPEONATO DE PILOTOS (após 2ª prova de 12)

  1. Johan KRISTOFFERSSON / Volkswagen Polo R – 53 pontos
  2. Andreas BAKKERUD / Audi S1 – 44
  3. Petter SOLBERG / Volkswagen Polo R – 43
  4. Sébastien LOEB / PEUGEOT 208 WRX – 39
  5. Timmy HANSEN / PEUGEOT 208WRX – 36
  6. Mattias EKSTRÖM / Audi S1 – 36
  7. Niclas GRÖNHOLM / Hyundai i20 – 29
  8. Janis BAUMANIS / Ford Fiesta – 22

  1. Kevin HANSEN / PEUGEOT 208WRX – 16

CAMPEONATO DE EQUIPAS (após 2ª prova de 12)

  1. PSRX Volkswagen Sweden – 96 pontos
  2. EKS Audi Sport – 80
  3. Team PEUGEOT Total – 75
  4. GRX Taneco – 45
  5. GC Kompetition – 32
  6. Olsbergs MSE – 29

 

PRÓXIMA PROVA: METETT, BÉLGICA

A terceira prova do Campeonato do Mundo FIA de Ralicross tem lugar em Metett, na Bélgica, no fim de semana de 12 e 13 de Maio. O Circuito Jules Tachemy, situado junto a Charterol, totaliza 1,149 km de extensão, com 61% do piso em asfalto e 39% em terra. Comparado com muitas das outras pistas que recebem o mundial de Ralicross, este circuito apresenta-se muito técnico, com algumas curvas lentas e secções sinuosas. Ao contrário de Portugal, a joker lap surge mesmo no final de cada volta, o que pode originar finais bastante emocionantes. Sendo a Bélgica a pátria do Ralicross, Metett é sempre um evento extremamente popular.