A Travagem | Conselhos de Manutenção

O sistema de travagem é um elemento essencial para a sua segurança.

Deve responder instantaneamente e de forma precisa a todas as solicitações. Os elementos mais importantes são os tambores, as pastilhas, os discos e as maxilas. Cada um destes elementos tem a sua própria função e, juntos, contribuem para a travagem e a imobilização da viatura.

O FUCIONAMENTO DA TRAVAGEM

O cilindro principal transforma a energia em pressão hidráulica que se difunde por intermédio do líquido dos travões até às 4 rodas.
Para as rodas equipadas com discos de travão, a pressão provoca a acção que encosta as pastilhas de travão no disco.
Para as rodas equipadas de travões de tambores, a pressão tem por efeito accionar as 2 maxilas que entram em contacto com os tambores.

A repartição da travagem

A travagem é assegurada em 60% pelas rodas dianteiras.
Os discos de travão, mais eficazes e mais resistentes, equipam a dianteira, e os travões de tambores ficam na traseira. As viaturas equipadas com 4 discos têm normalmente discos ventilados na dianteira, para melhorar o seu arrefecimento. Este sistema permite ter um melhor controlo da direcção impedindo o bloqueio das rodas nas travagens de emergência.

ABS: o sistema anti-bloqueio

Este sistema permite ter um melhor controlo da direcção impedindo o bloqueio da rodas nas travagens de emergência.

    

QUAIS SÃO OS ELEMENTOS DA TRAVAGEM?

AS PASTILHAS DE TRAVÃO


As fricções associadas à travagem originam libertações importantes de calor. Travagens repetidas podem fazer a temperatura dos discos até aos 800°C.

O material das pastilhas é mais macio que o dos discos e por isso fica gasto mais rapidamente. As pastilhas usadas podem danificar os discos de travão. No caso de travagens bruscas, arrisca-se a perder o controlo da sua viatura.

Deve controlar regularmente o estado das pastilhas (todos os 10.000 km). Susbtitua-as assim que verificar que a espessura do material está reduzido a 2 mm. Deve substituir sempre os 2 jogos de pastilhas do mesmo eixo para evitar uma travagem assimétrica.

OS DISCOS DE TRAVÃO


Na travagem são fortemente solicitados. Do seu estado depende a eficácia máxima das pastilhas. Podem-se partir, rachar ou oxidar.
Deve controlar os discos cada vez que trocar as pastilhas, para verificar se a sua espessura respeita o que está estabelecido pelo Construtor.

OS TAMBORES DE TRAVÃO


Menos solicitados do que as pastilhas, estão sujeitos ao mesmo desgaste. Os elementos gastos podem levar ao deslocamento da traseira devido ao bloqueio das rodas.
Deve controlá-los regularmente (todos os 20.000 km). As maxilas devem ser substituídas assim que a espessura seja inferior a 1,5 mm.

O ÓLEO DOS TRAVÕES

Um óleo muito usado pode levar a uma perda de eficácia da travagem ou uma fuga do sistema hidráulico, logo a uma potencial falha. Um indicador no painel de bordo indica o nível de alerta. No caso de baixa anormal do óleo de travões, consulte o seu Reparador Autorizado PEUGEOT. Deve mudar o óleo de travões no mínimo 1 vez a cada 2 anos.


ALGUNS CONSELHOS

  • Depois de mudar as pastilhas, efectue uma rodagem com pequenas travagem sucessivas.
  • Após a lavagem da sua viatura numa estação de serviço automática, os discos e as pastilhas dianteiras podem ficar húmidas.
  • A eficácia dos travões pode diminuir. Faça de tempos a tempos uma ligeira travagem para que o calor gerado seque as peças.
  • Utilize apenas produtos homologados pela Peugeot para limpar as jantes em alumínio e assim evitar a agressões estranhas devido a solventes inapropriados.
  • Quando fizer travagens ligeiras os travões podem apitar ou chiar. Estes barulhos não impactam com a eficácia da travagem. No entanto, se tiver dúvidas deve verificar os discos e as pastilhas num Reparador Autorizado PEUGEOT.
  • Lembre-se que todos os sistemas de travagem não são eficazes se os amortecedores e os pneus não estiverem em bom estado.

     

OS SINAIS DE DESGASTE DO SISTEMA DE TRAVAGEM

  • O alerta de travão está acesso: o travão de mão está accionado ou o nível do líquido é demasiado baixo ou as pastilhas estão desgastadas. Atenção, não ignore nunca este sinal.
  • O pedal do travão está duro: isso pode ser devido a uma deficiência do sistema de travagem, dos tubos ou do circuito hidráulico, dos cilindros das rodas ou das calibragens.
  • O pedal do travão está mole: o pedal afunda-se, tem de carregar várias vezes para conseguir travar. Atenção, porque é um sinal de uma anomalia grave do sistema hidráulico.
  • A viatura dá guinadas na travagem: um cilindro da roda ou uma calibragem pode estar danificada, ou simplesmente um pneu pode estar furado. Os amortecedores usados podem também ter as mesmas consequências.
  • A viatura vibra quando se trava: trata-se provavelmente de discos de travão defeituosos, de uma peça solta ou de uma folga excessiva no eixo traseiro ou dianteiro.
  • A viatura bloqueia na travagem: se à mínima solicitação os travões bloqueiam, isso pode ser sinal de um problema nos discos, nos tambores ou nos travões. Visite o seu Reparador Autorizado PEUGEOT.

    
Se observar um ou vários destes sinais de desgaste, consulte o seu Reparador Autorizado PEUGEOT.

      

A TRAVAGEM E A INSPECÇÃO PERIÓDICA OBRIGATÓRIA

Particularmente severa em matéria de segurança, a inspecção periódica obrigatória inclui vários pontos de controlo do sistema de travagem. Para evitar os inconvenientes de uma reinspecção, não hesite em solicitar o controlo da sua travagem ao seu Reparador Autorizado Peugeot.


Em matéria de segurança, as exigências Peugeot asseguram a qualidade dos materiais, resistência optimizada e eficácia da travagem.